sábado, 30 de janeiro de 2016

Somos chamados para sermos “Luz para o mundo" e "Sal para Terra" ...

O Despertar da Alma III 

Paulo da Costa Paiva,OFS


            A Palavra vocação tem sua origem do latim do verbo "vocare" que pode ser compreendido como "chamar", para o melhor entendimento seria um chamado, mas por parte de quem? Segundo o cristianismo todos somos chamados à missão por parte de Deus, e antes mesmo de nascer já estamos designados a uma missão especifica para glorificação do nome do Senhor através do anuncio e vivencia da boa nova que nos leva consequentemente a nossa realização e santificação. A vocação não é para si, mas para toda a humanidade, somos chamados e capacitados para sermos “Luz para o mundo" e "Sal para Terra" como instrumento de Deus no mundo para salvação de muitas almas. Na Igreja Católica existem diversos serviços, movimentos e espiritualidades, mas com o mesmo objetivo e sempre em unidade com Cristo nosso Senhor. O importante é saber para que somos chamados? E para qual missão? Não existe mistério para se revelado, mas é necessário está atento.

            A vocação tem suas distinções entre o particular e o geral, dessa forma a vocação fundamental de cada ser humano é desenvolver suas potencialidades que se faz presente no seu ser de forma latente, que necessita despertar para o transcendente (Deus). Está em comunhão com Deus só se torna possível em unidade com Cristo, sendo um com Ele (Igreja), e para nos tornarmos membros do corpo de Cristo de forma consciente em sua plenitude, só por intermédio do Santo Espírito que nos capacita a sermos os novos cristos através da vocação especifica de cada um, a singularidade que cada ser humano carrega dentro de si manifestada plenamente, se tornando a chave que une Deus ao homem para sua santificação no mundo para o mundo, pois a salvação só acontece em pró da humanidade não para si, mas para o próximo. A vocação especifica é a forma que cada ser humano realiza sua vocação fundamental, que pode ser na vida laical (casado ou solteiro), consagrada ou sacerdotal.

            Existem muitos contratempos que podem confundir as nossas escolhas, ao ponto de nos fazermos caminhar trilhas na qual não somos chamados, nos causando angustias, frustrações e um profundo vazio existencial, tornando-nos pessoas frias, amargas e muito mal amadas. Existem vários obstáculos, como as fugas existências, comodismos, interesses, influências e muito mais, que podem acarretar danos nocivos tanto para quem fez a má escolha como para todos com qual se convive, se tornando todos infelizes por uma má e precipitada decisão. A vocação é algo nato do ser humano, ele já traz sinais do seu chamado mesmo que não de forma explicitas, mas traz no cotidiano nos gestos mais simples do dia a dia. Não podemos cair na cilada dos sentimentalismos que podem confundir, levando a uma vocação futuramente frustrada. O sentimentalismo (pieguice) exacerbado pode motivar muitas pessoas a buscar uma radicalidade que não foi chamada a viver, levando-o a sair do seminário ou convento brevemente, ou pior ainda ser tornar um padre, um religioso ou freira amarga e mal amada por toda a vida. Assim também o risco de ser levado pelas paixões e consequentemente se casar de forma precipitada, que logo percebendo com tempo que não era a pessoa certa e nem vocação na qual foi chamado, se sentido frustrado e incompleto por toda vida.

            É fundamental está a tento as nossas aptidões, gostos e inspirações, a tudo aquilo que vem de nossa essência, do nosso mais intimo da alma, o que realmente nos faz feliz e realizado, às vezes ou quase sempre não enxerga porque foge de si mesmo, ou está tão ocupado com iniquidades que não percebe o verdadeiro chamado, mas não é porque descobriu ou acredita que realmente descobriu sua vocação que não passará por dificuldades. Não somos melhores que o nosso senhor e mestre, o Cristo, pois se ele passou por todas as tribulações, a cruz e a morte, conosco não é diferente, mas ai pode surgir a grande questão, será que vale apena optar pela cruz do seu chamado em vez de aproveitar o curto tempo de vida que o mundo pode oferecer? O fim é o diferencial, pois quem escolhe simplesmente aproveitar a vida, sabe de alguma forma que isso vai acabar um dia e ficará num vazio existencial insuportável da morte do meramente existir,do contrario daqueles que buscam viver na peleja do acertar mesmo errando, buscando na essência do seu ser a transcendência, lapidando a alma para eternidade em comunhão com Deus.


Paz e Bem!

sábado, 23 de janeiro de 2016

Todos nós temos potencialidades...

O Despertar da Alma II

Paulo da Costa Paiva,OFS


            Todos nós temos potencialidades que se necessitam desenvolver, se possível plenamente, pois somente assim nos realizaremos em nossa totalidade. Muitas frustrações da vida estão em não pode ser realizar plenamente, por se sentir incompleto e vazio, por mais que tenha todas as riquezas que mundo possa oferecer. O ser humano precisa se conhecer estar em sintonia com a sua essência para poder caminhar para sua realização, e isso não é exclusivamente individual, pois se faz necessário o outro, e para isso, é importante a interação (convivência) para desenvolver nossa potencialidade, porque somente diante dos contratempos, desafios (tristezas e dor) como também nas realizações e confraternizações que podemos amadurecer nossas almas. Cada um de nós têm habilidades especificas latente que precisam ser descoberta para o nosso bem e para o bem de todos, pois quando temos um talento não é somente para nós, mas para toda a comunidade se beneficiar.

            Ninguém se torna medico, professor, advogado ou outro profissional para si, mas para o outro que necessita de suas habilidades para superar as suas deficiências. Então tanto aquele que contribuí como aquele que é beneficiado se realiza por sua utilidade em beneficio do bem comum, mas infelizmente muitos não acertam nas suas opções se tornando maus profissionais, maus padres e religiosos, mergulhados nas suas frustrações que os tornam pessoas amargas e mal amadas. Muitos permanecem na sua amargura envenenando os outros que de certa forma inconscientemente se torna um pedido de ajuda ou de desabafo de tanta infelicidade, por não conseguirem por conta própria se libertar desse pesadíssimo fardo que o mata pouco a pouco, tudo causado por uma precipitada escolha, um mau discernimento e pela incapacidade de recomeçar se tornando infeliz e consequentemente fazendo o outro infeliz.

            As potencialidades não se resumem ao serviço profissional, mas os talentos se manifestam em diversas realidades, como nas artes, ciências, filosofias, espiritualidades e muito mais. No que se refere à espiritualidade, mas precisamente ao cristianismo, todos nós somos chamados a realizar nossa missão, recebemos talentos para beneficiar o bem comum que consequentemente nos beneficiamos por nos sentimos útil, ao fazermos o bem ao nosso semelhante nos tornando pessoas realizadas. Para nos tornamos essas pessoas realizadas não é nada fácil, devemos nos conhecer bem para descobrir a nossa vocação, mas não é nada impossível, aliais é acessível o tempo todo desde sempre em nossa existência, para isso se deve silenciar ouvir a voz de Deus que se faz presente dentro de nós. Como foi falado no inicio do texto é necessário ir ao deserto interior passar por todo processo de maturação espiritual (transcendente) para se der o passo inicial de nossa missão, assim aconteceu com os profetas do antigo testamento, como também foi com João Batista e o Nosso Senhor Jesus Cristo todos foram ao deserto.

Continua...


Paz e Bem!

sábado, 16 de janeiro de 2016

... ir ao deserto interior !!

O Despertar da Alma

Paulo da Costa Paiva,OFS


            O ser humano assim como qualquer outra criatura da terra tem o seu próprio ciclo de vida, e como um ser vivente é gerado por um útero, nasce, cresce se reproduz e morre, mas existe um diferencial no homem que o tornar transcendente a todos os seres vivos da terra, que é a sua racionalidade. Sim é através da razão que o homem se tornou o senhor de sua própria história com seus erros e acertos, das cavernas até o infinito do universo estamos sempre evoluindo e buscando superar dia após dia, aprendendo com os nossos erros e barbáries do passado. Durante todo processo histórico da humanidade muitos homens se destacaram por sua coragem, liderança, genialidade e muito mais, tanto para o bem como para o mal, mas conseguiram de certa forma exteriorizar suas potencialidades que marcaram suas presenças na história contribuindo para o nosso processo evolutivo. Todos nós somos corresponsáveis pela nossa história e de toda humanidade, devendo contribuir com o nosso legado para o bem comum das futuras gerações, deixando a nossa presença como sujeitos históricos de nossa própria raça e transformadores de uma geração.

            Mas para isso devemos primeiramente mudar o nosso próprio viver para poder tentar mudar o mundo de forma simples, podendo chegar as grandes consequências de transformações para um mundo melhor. A reforma inicial é de nossa própria pessoa, isso será lento e não terá fim, porque sempre estaremos errando e aprendendo, caindo e nos levantando constantemente, pois somos seres inacabáveis, e estamos sempre nos aperfeiçoando ou pelo menos quase todos deveria buscar melhorar dia a dia. Viver por viver é pura ilusão, pois viver uma vida somente para os caprichos de nossos instintos e ser indiferente para com os outros, nos tornam pessoas meramente medíocres e totalmente tapadas de nossas próprias existências, não se diferenciando dos outros animais na qual se assemelha ou até se rebaixa as criaturas selvagens por meio de suas barbáries e bestialidade no mundo e na história. Só é possível ter um convívio melhor e agradável com o outro quando existe uma transformação, e não será de forma mágica e milagrosa, pois se deve mudar para o mundo também poder também mudar.

            Essa reforma interior, não é fácil e nem agradável inicialmente assim como uma casa que está suja e desmoronando, o nosso corpo se torna morada nossa e de nosso Senhor que se faz presente e cada ser humano, mas que pode está adormecido diante de tantas trevas (ignorância) que impede que se manifeste plenamente. Primeiramente e deve silenciar que não é nada fácil no mundo de hoje que é tão barulhento com palavras vãs e iníquas, quase sempre a grande maioria tem medo de silenciar por não suportar a ouvi os clamores do seu interior e vive fugindo de si mesmo por toda vida. Ao silenciar se deve mergulhar no seu intimo de forma mais profunda possível, na sua história de vida, desde a infância passando por todas as dificuldades e traumas que o fizeram de sua vida tão problemática e mal resolvida, por nunca encarar suas dores, buscando efeitos paliativos (fugas) na sexualidade desregrada, nas drogas (licitas e ilícitas), num fundamentalismo doentio e etc. Mas nada disso resolve fugindo ou se iludindo, alias faz pior e maltrata muito mais, num vazio insuportável e mortal (suicídio voluntário ou processual).

            Quando se busca ir ao deserto interior nos enxergamos verdadeiramente, sem mascaras e ilusões, com nossas misérias e limitações, que muita das vezes se busca escondê-la em vez de resolvê-la. Só é possível solucionar um problema quando primeiramente se faz reconhecer que ele existe isso já é um passo fundamental para sua resolução. É na essência da alma que se encontra com a consciência em sua realidade mais plena, onde Cristo se faz morada e nos encontra para conversar e se manifestar. É lá que ocorrer as curas e as libertações, mas nessa buscar a Cristo é fundamental, se dá o primeiro passo, na busca da confissão, da eucaristia, da leitura e meditação da bíblia, observando e contemplando a criação e sempre ajudando a quem necessita... Perseverando na busca intima com o seu Senhor, logo se perceber as primeiras mudanças, que é a paz verdadeira que vem do alto (transcendente), e nas praticas caritativas e espirituais continuada em sua vida, logo se manifestará os primeiros frutos de libertação e amadurecimento que será progressivo ou não, a partir do comprometimento consigo mesmo por toda vida.

Continua...


Paz e Bem!

sábado, 2 de janeiro de 2016

Reflexão Casual XL



“Na busca do conhecimento se paga um preço muito alto, que é o silêncio de suas conseqüências.”

Paulinopax