sábado, 19 de março de 2016

Corpo de Cristo!

O Corpo Místico de Cristo
Paulo da Costa Paiva, OFS

            Jesus no seu ministério salvífico sempre associou os seus seguidores a sua pessoa relacionando a sua vida como caminho e verdade que leva a vida eterna na Jerusalém celeste como promessa a todos que fazem a sua vontade, era comparado com a cepa e os discípulos os ramos onde só haveria vida quando unido e quando separado, secava e era jogado ao fogo. É na unidade com o Filho, pelo seu santo Espírito que estamos em comunhão com Deus Pai, desde o principio de sua missão (Cristo) era claro o convite a uma vida nova para todo os que o seguiam, onde cada um era convidado a levar a sua cruz, pois ninguém é maior ou melhor do que seu mestre (Jesus) que morreu no madeiro e ressuscitou para redenção do mundo, somos convidados a seguir os passos do mestre Jesus que só é possível se tornando um com Ele por intermédio do Batismo que nos introduz na Igreja que é o seu corpo místico.
            Assim como um corpo há vários membros, quando se encontra sadio é na sua alta complexidade uma grande e espetacular criação, que tudo funciona perfeitamente e harmoniosamente entre os membros, assim também é a Igreja na sua unidade e diversidade entre Deus e a humanidade através de Cristo Jesus. Não se pode omiti que apesar do homem ser dádiva divina, está sempre em formação, pois o ser humano é um ser inacabável com virtudes e defeitos, humano e divino (pelo santo espírito), a Igreja também se torna humana (terrestre) com suas falhas no seu processo histórico onde teve sempre a busca pelo zelo ao anuncio da boa nova e ao plano salvífico, mas por ser ludibriado pelas vontades meramente humanas foram infelizes em algumas posições, mas é também Divina, pois é enriquecida de bens celeste na dinâmica do Santo Espírito através da Sagrada Escritura, da tradição e do seu magistério que confirma a vontade de Deus nos séculos se mantendo firme e sólida na unidade e na obediência na busca incessante de ser fiel aos designo Pai.
            A universalidade da Igreja se manifesta de forma sólida na unidade diante das plural idades de carismas, ministérios, de formas de vida e apóstola dos que se manifestam nas Igrejas particulares, e que além dessas singularidades existem também as diversidades de tradições litúrgicas e culturais sempre em unidade com a Igreja Universal (Cúria Romana). Mas isso não se torna obstáculos ao contrário se harmonizam como um corpo em movimento onde cada parte tem sua grande importância numa comunhão mística que se dá pela graça divina (Espírito Santo) manifestada principalmente na sua liturgia do santo sacrifício que é celebra em unidade diariamente num mundo inteiro sendo um só corpo e um só coração.


Paz e Bem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário