terça-feira, 19 de junho de 2018

Resenha: Sexo, Desvio e Danação V

PROSTITUTAS

Paulo da Costa Paiva



PROSTITUTAS

            A grande população da idade média vivia em situação nada agradável, somente o necessário para sobreviver, mas existiam pessoas em situações bem piores na total miséria, sem provisão nenhuma que estavam às margens da sociedade, esquecido pelos governantes e por Deus que se faziam presente nos grandes templos da pomposa Igreja Católica, as Jovens e meninas que viviam em total miséria eram assediadas e obrigadas a entrar nessa vida, obrigadas a se prostituir para poder viver. Em praticamente todas as cidades do ocidente tinham as tão conhecidas “Boas casas” ou a “casa da luz vermelha” que eram bastante visitadas por pessoas comuns como pessoas da alta sociedade, nobres e cleros (mesmo sendo proibido). Estava também presente nas ruas, praças, tabernas, casas de banhos e até nas Igrejas em busca de novas clientelas de todos os tipos de homens, principalmente homens jovens e solteiros que seriam seus melhores clientes. Na Europa medieval era bastante tolerável e flexível a atividade sexual masculina tanto a pré-marital como a extraconjugal, seria um mal necessário como se diziam na época e aceito por todas e até pela Igreja, pois era incentivado, pois muitos homens da época buscavam casar somente próximo dos seus 30 anos ou mais, e tinham necessidades sexuais, e precisavam aliviar seus impulsos de alguma forma, diante dessas situações qualquer “mulher de bem” da sociedade poderia se tornar uma presa fácil para os extintos animais do próprio homem e por isso era necessário esse serviço diferenciado por profissionais do sexo como se diria nos tempos atuais. Assim tudo ficaram bem (???) pelo menos para a nobreza e o clero, pois estariam evitando que as mulheres e jovens da sociedades fossem abusadas e estuprada, como também a abominação na época da sodomia (relações homoafetivas)que sempre existia mas era silenciada pois poderia ter altas punições tanto pelo estado como pela Igreja.

            Para o estado com o consentimento da Igreja, a prostituição seria um mal necessário, para o bem comum de toda a sociedade, pois seria mister criar lugares eficientes para as necessidades e satisfação sexual dos homens em geral sem ofender e corromper a decência e moral. Para isso realmente se constituísse de forma ordeira foi fundamental se colocar certa regulamentação e para isso algumas regras foram imposta: Como por exemplo as prostitutas deveriam vestir  roupas diferenciada das mulheres de bem da sociedade; as mulheres grávidas, assim como as casadas e freiras não poderia ser aceitas nos bordeis; Nos dias santos como também nas festas religiosas, jamais os bordeis poderiam funcionar. Com o decorrer do tempo os prostíbulos junto com as prostituas e cafetões eram removidos e as casas confiscada e por esses motivos foram se afastando das cidades até ficarem por fora dos muros, se fixando nas periferias nas tão conhecidas zonas da luz vermelha, muitos foram açoitados e suas roupas eram tomadas, dessa forma impossibilitados de exercer o árduo oficio. Cidade como a de Montpellier, inovou sobre as situações relacionada as situações dos prostíbulos que no ano de 1285  foi decidido designar uma rua exclusiva para esse serviço, sendo fixado no subúrbio e  popularmente conhecida como a " rua quente ", se tornando oficialmente as residências para as prostitutas. Cada vez mais as imposições por parte do estado foram se intensificando, como por exemplo, na cidade de Londres (1393), onde foi imposto o toque de recolhida, proibindo a circulações de homens ou de qual pessoa pelas ruas da cidade londrina logo após impecavelmente das nove da noite e os estrangeiro já a partir da oito da noite não ousasse sair de casa, sob ameaça de prisão. Outra local que chamou bastante atenção foi na França central como também na setentrional, onde tudo que era relacionado aos prostibulo e a prostituição em geral ficaram sobre o controle de um funcionário (municipal) especifico da cidade, sendo conhecido como o “rei dos libertinos".

Continua...

Paz e Bem!!

sábado, 2 de junho de 2018

Reflexão Casual LXX


“A única coisa que em cada um de nós possa realmente se assemelhar ou se aproximar de uma realidade transcendente, é a nossa própria consciência (desperta) e genialidade, o restante não passa de uma mera especulação."

Paulinopax