sábado, 21 de julho de 2018

Resenha: Sexo, Desvio e Danação VI


HOMOSSEXUAIS

Paulo da Costa Paiva


HOMOSSEXUAIS

            Sobre o homossexualismo, isso sempre houve desde os primórdio da humanidade e sua aceitação ou repreensão se devia cada local, costume e tempos especifico. O cristianismo se baseou nos costume do povo judeu que considerava abominação e sendo passível de pena de morte, assim como também o incesto, a bestialidade e o adultério. Outras culturas como a grega e romana, as pessoas nem se quer eram classificadas como heterossexuais ou de homossexuais, se tornando um costume mais aceitável e comum para essa população. O próprio Jesus nada fala sobre esse assunto, já o Apóstolo Paulo encara como uma rejeição dos valores morais por parte dos pagãos. Assim como desde aurora da humanidade já havia prostituição por parte das mulheres como os homens não foram diferente, coma permissão por parte do estado, o homem poderia se relacionar sexualmente tanto com mulheres, como também escravos, jovens e com homens em geral sem recriminação nenhuma por parte dos dirigentes como também da população, a única coisa realmente que era fundamental dentro da sociedade pagã, seria o caso manutenção e a caracterização já culturalmente definida socialmente como o masculino e o feminino. Com o advento do cristianismo, tudo mudou onde o homossexualismo se tornava tendências exclusivamente pervertida, comparando a homossexualidade com efeminação como também com os termos de pederastia, distorcendo toda as praticas do passado como nocivas e imorais sendo essa ideia repercutida por toda Europa medieval.

            Na idade média, não existia especificamente essa terminologia de "homossexual", existia sim que qualquer principio relacionado a sexo sem o objetivo de procriação, que era considerado violação da natureza, como o caso de fornicação, adultério, bestialidade e coisas de semelhantes  gravidade onde se encontra também a sodomia, que aos poucos se identificaria com o decorrer dos tempo com termo homossexualismo, desde do inicio do cristianismo já se combatia tais atos, se desenvolvendo por exemplo um código abrangente de ética sexual. Mas foi somente no período que o Império se tornou cristão que realmente se começou colocar em prática o regimento contra a imoralidade generalizada para os bons costumes éticos e moral, sempre temente a Deus. Antes esse atos eram bastante comum na sociedade ainda pagã, como por exemplo existia uma subcultura homoafetiva surgido nos burgos e cidades mas precisamente nas casas de banhos e barbearias  que tinha certas brincadeiras (atividades) sexual como caçar ou melhor dizendo paquerar outros do mesmo sexo, principalmente os que tinham traços afeminados conhecidos na época como "ganimedes".

Continua...

Paz e Bem!!

a

sábado, 7 de julho de 2018