sábado, 29 de dezembro de 2012

Surgimento das Escrituras Sagradas


Escrituras Sagrada
- como começou?


Em sua maioria, ao perguntar as pessoas sobre os primeiros escritos bíblicos. Elas respondem que foi o livro de Gênesis a ser escrito. No entanto, os estudos indicam uma ordem diferente. Tudo começou com um conceito bem peculiar de transmitir uma mensagem, chamada de “Tradição oral”. Nessa tradição tem como objetivo manter viva a história e a identidade de um povo (Israel). Não havia necessidade da escrita, pois as pessoas aprendiam pela palavra falada, e conservada sempre quando pronunciada para o povo mantendo dessa forma  sua historia, com seus costumes e tradições. Esse período começou a partir de Abraão até o inicio do reinado de Davi.

Os primeiros textos foram: Cântico de Débora (Jz 5, 1-32), Decálogo ou Dez Mandamentos (Ex 20, 1-21), Código da Aliança (Ex 20, 22-23, 19) e alguns Salmos. O período tribal e do governo dos anciões foram redigidos no Exílio por um grupo de intelectuais, nobres, sacerdotes e escribas que formava uma tradição chamada Javista. Eles tinham como objetivo confirmar a história de seu povo, a partir da valorização das narrativas sobre os patriarcas, as promessas, a páscoa, as bênçãos... Para obter resposta do povo a Deus fazendo uma leitura histórica e de suas marcas no passado.

A bíblia foi escrita na língua hebraica, aramaica e grega. Esses escritos foram feitos em diversas localidades durante seu processo histórico (Babilônia, Egito, Grécia, Ásia menor e a Itália). O material utilizado para seus escritos foram o papiro, o pergaminho, como outros materiais (tabuinhas de argilas, chapas de pedras, paredões e rochedos, paredes de pedras e jarros de cerâmica). A função de todos esses registros foi fundamental para a origem da bíblia.


Paulo da Costa
Marcos Vinicius
Fco. Regis Gurgel

sábado, 15 de dezembro de 2012

Crianças unidas no combate à dengue !



Crianças unidas, dengue vencida !!!

Paulo da Costa

Um Vídeo de Conscientização e de instruções ao combate a dengue onde busca orientar principalmente as crianças que a partir de hoje e das futuras gerações tenham como objetivo a eliminação total da dengue na sociedade.Esse Curta-Metragem dirigida por Paulo da Costa (Paulinopax) tem como seu protagonista o ator-mirim Luan Davi Silva Pinheiro que apresenta nesse filme uma forma simples mas objetiva no combate à dengue.

 Luan Davi é uma criança como qualquer outra que brinca, estuda, sonha bastante e viaja em sua imaginação fértil. Ele soube na escola que seu melhor amigo faltou aula, porque foi diagnosticado com dengue e ficou muito preocupado, queria saber um pouco mais sobre a dengue então surge uma visita inesperada do agente de saúde Paulo que dá uma breve explicação....

sábado, 1 de dezembro de 2012

Reflexão Casual II



“Ele se manifesta tanto nas grandezas cósmicas como no mais simples atos da vida. No cantar dos pássaros, numa brisa leve, no sorriso puro de uma criança... Por isso não queira compreendê-lo (limitá-lo). Apenas sinta Deus, valorize a cada instante a sua vida em comunhão com o Pai.”


Paulinopax

sábado, 17 de novembro de 2012

Unidade e Paz


A Importância Histórica do
Ecumenismo

Paulo da Costa

          O Surgimento do Movimento ecumênico foi a partir do século XIX dentro de movimentos missionários protestantes e movimentos sociais que lutavam por melhorias de vida, principalmente e emergentemente dos menos favorecidos que estavam às margens da sociedade e desassistido por seus governantes. O objetivo inicial era de evangelizar os povos não cristãos e para isso via-se a importância da busca da unidade na missão por parte de igrejas protestante, apesar de algumas divergências doutrinarias. Teve sua primeira conferencia realizada em 1810 na cidade do Cabo (África do sul) com a participação de apenas seis entidades protestantes, e a partir de então foram surgindo diversas denominações que abraçaram a causa que culminou na fundação de diversas entidades ecumênicas, mas infelizmente as problemáticas permaneciam, pois não havia uma verdadeira unidade nas missões.

            Inicialmente o movimento ecumênico não tinha muito interesse no dialogo inter-religiosos, queria apenas angariar mais fieis as suas igrejas, dessa forma, violentando e inculturando diversas etnias como se via em séculos passados por cristãos tanto católicos como protestante em diversas colônias, massacrando e obrigando povos nativos a aceitarem suas religiões. Mas existiam as exceções tanto naquela época como hoje, através do dialogo e respeitando suas culturas, como nos casos das tribos indígenas nas Américas, como também as tribos de negros provindos do continente africano. Com o passar dos anos via-se o amadurecimentos por parte das igrejas protestantes e até a própria igreja católica que resistia qualquer dialogo ecumênico, aos pouco foi se abrindo porta para o dialogo até que na década de 60 com o Papa João XXIII se cria um Secretariado Romano para a Unidade dos Cristãos, e a partir de então a Igreja Católica abraça esse movimento dando uma contribuição significativa. O ecumenismo com o decorrer do tempo percebe-se em novas situações, transcendendo para uma busca além do horizonte do próprio cristianismo para se concretizar a máxima de Cristo e a partir de Cristo de uma unidade plena de todos os povos (macro Ecumenismo), numa expectativa de um diálogo inter-religioso, que busca a luta comum pela prática do bem, do amor, da justiça e da liberdade a favor do ser humano e isto só é possível entre as religiões, pois todas têm um ponto em comum, a referência de um Deus de amor e paz.

              O essencial no macro Ecumenismo é buscar estar em comunhão com a compreensão de Deus, tendo como referência maior, o Cristo Jesus que amou e acolheu a todos sem distinção, nos ensinado a chamar Deus de pai e nos tornando filhos de uma única família onde todos somos irmãos apesar das diferenças e que isso não seja causa de divisão, e sim de diversidade que acolhe a todos os povos, emergencialmente os marginalizados e oprimidos a partir da fé concreta. O movimento busca como objetivo trabalhar a paz a partir da diversidade e tem como regrar maior o amor, superando todo preconceito, indiferenças, ódio e toda essa cultura de morte por intermédio da caridade concretizando o reino de Deus entre nós.


Paz e Bem!

sábado, 3 de novembro de 2012

Teologia caminhando com a História


Itinerário Teológico
Paulo da Costa


                A teologia tem como objetivo a revelação divina através da pessoa de Jesus Cristo. Jesus se torna o sujeito na economia da salvação, que tem como pilares a sagrada Escritura, a tradição e seu magistério. Para se compreender melhor a teologia cristã na contemporaneidade precisamos trilhar todo o seu itinerário, a partir dos séculos, mas precisamente do século XX até a atualidade. Baseado no texto de João Bastita Libanio (Mestre em filosofia e doutor em teologia). Ele nos apresenta inicialmente a teologia fundamental tradicional, que tem como objetivo a justificação de forma racional da revelação divina, ou melhor, dizendo da própria fé, combatendo todo tipo de ataque provindo das ideias iluministas. Mas com o tempo os conteúdos estudados estavam se tornando ultrapassados diante dos grandes avanços da sociedade pós-guerra.

            Então surge a teologia da revelação que se diferencia em três pontos básico da teologia tradicional que seria na dimensão da existencialidade, historicidade e caráter bíblico numa adesão com Jesus pelo Santo Espírito. Percebe-se o grande valor crítico e científico da sagrada Escritura, baseado em novas descobertas arqueológicas que fortaleceram uma visão mais panorâmica de um cristianismo que se afirma num caráter histórico de revelação superando dessa forma um caráter mais intelectualista. A teologia da revelação buscou através de seu dinamismo e inovação, ser menos subjetiva buscando se tornar cada vez mais objetiva. Infelizmente ainda parecia demasiadamente intelectualista, faltava algo que se se torna pleno ou se aproximasse de uma possibilidade da praxidade do reino de deus no meio de nós.

            Na América latina no final da década de 60, onde se havia um grande temor por partes dos governantes, do avanço do comunismo exemplificado com o ocorrido em Cuba, a grande parte dos países latino-americanos se fechou e houve uma pandemia militar contra a democracia fragilizada pelo contexto político-econômico, Surgindo então os golpes militares e predominando os governos ditatórios. A população reagiu através das militâncias contra a opressão violenta em clima de libertação onde as alas cristãs encaravam os novos desafios na luz da Sagrada Escritura, bebendo de novos e modernos direcionamentos do concilio do vaticano II, TSurgindo dessa forma uma teologia voltada à luz do evangelho diante dos problemas emergenciais e problemáticas das nações latino americana, onde a censura e o silencio predominada pela opressão dos governos militares, mas surge uma possibilidade de esperança e libertação em favor dos oprimidos e marginalizados na luz do evangelho na pessoa de Cristo por uma nova sociedade justa e fraterna.

            Surge em Medellín (Colômbia) em 1968 a primeira Conferencia Geral do Episcopado Latino Americano – CELAM. Onde a própria Igreja (Leigos, religiosos, movimentos e Bispos progressistas) debatia a discutir as problemáticas situações da Igreja nesse contexto político de opressão. Muitos teólogos abraçaram essa nova expectativa de Igreja, surgindo muitos movimentos como as CEBs e diversas pastorais sociais onde o pobre e o marginalizado se organizavam e se fortalecia em busca de melhorias e dignidade humana. Já a partir da década de 80 com o papado de João Paulo II, percebia o surgimento de uma nova geração, que nesse novo contexto histórico as ditaduras militares sendo abolidas, nasce um novo tempo, com uma nova expectativa cheio de esperança, o resurgimento da democracia que se via ao longe, e breve se afirmaria em toda América latina. Claramente nota-se que muitas militâncias progressista e libertadora se amornaram como a própria teologia da libertação, que aos pouco foram perdendo espaço para uma teologia muito mais centrada nela mesma, de uma subjetividade exacerbada, vivendo uma fé sem reflexão e supervalorizando o quesito emocional. Esquecendo ou deixando de lado a problemáticas sociais e nossos irmãos marginalizados.

Paulo da Costa
            A Igreja que antes era o povo-Igreja se fortalecendo nas suas estruturas (Base), tanto na fé como na praxidade do reino de Deus, desandou nessas ultimas décadas. Onde o pentecostalismo se mascara dentro da própria igreja, vivendo mais dos excessos da religiosidade, da superficialidade e do midiático. Numa experiência individualista com Deus mesmo em multidões, que é arrastado pelos mega shows e padres pop-stars. Hoje o grande desafio dos teólogos e dos estudantes de teologia é buscar uma teologia centrada e tendo sempre Jesus Cristo como suma referencia, dessa forma identificando e neutralizando os excessos (extremos), desenvolvendo uma visão panorâmica das problemáticas de nossa sociedade em busca de oportunidades para uma nova sociedade onde a praxidade do reino de Deus se manifeste para todos.
               
Paz e Bem!

sábado, 20 de outubro de 2012

Os riscos do Poder

Poder e Consequências!
Paulo da Costa



“O desejo de salvar a humanidade é quase sempre um disfarce para o desejo de controla-la''   Henry Louis Mencken


A humanidade desde os primórdio teve a tendência à submissão e a idolatria, sempre se rebaixando para dessa forma para manter a sua existência. Observando isso em todas as culturas de diversos povos em suas regiões e continente de nosso planeta. Povos que cultuam suas divindades e zelam por seus ritos e tradições. Mas se aprofundarmos na história antiga da humanidade perceberá que as grandes civilizações que tiveram um governo teocrático (Político-religioso), onde muitas vezes o rei ou imperador era a própria divindade manifestada no meio do seu povo, não era um governo de paz e abundância. Mas sua presença refletia mais um fardo do que propriamente um reinado de igualdade, justiça e fraternidade.

      Os grandes impérios assim como qualquer reinado que existiu em alguma parte do mundo se identificava uma exploração por parte dos governantes com o seu povo, que não se diferenciava muito da exploração de servos e escravos, todos tinham que dar uma parcela de todo seu esforço de trabalho ao seu rei que muitas das vezes se utilizava da própria religião para oprimir de um pior destino aqui e pós-morte. O povo sempre busca aquele que possa aliviar suas dores, carências e todo tipo de angustias e sofrimentos, rogando cheio de esperança por uma libertação que seja manifestada pela misericórdia de seu deus. Um salvador que possa os libertar das correias da opressão, propiciando uma vida nova com bastante abundancia. Muita das vezes esse salvador é prefigurado como o próprio deus ou um semideus (Homem-Deus).

Essa prefiguração normalmente é representada por imagens na qual se adoram e fazem seus ritos (cultos), para isso comumente com o tempo esses cultos por necessidade se sistematizar, dependendo dos povos podem ser uma sistematização simples e rústica, como podem também se tornar algo extremamente complexo com seus códigos e Canon. Mas por traz de toda essa organização teocrática existia um objetivo daqueles que guiavam o povo. De ter o total controle e que, para isso se utilizavam da religião. Evitando dessa forma rebeliões, como também se beneficiavam economicamente com os tributos e oferendas, claro sem esquecer-se da mão de obra barata e de um exercito sempre a disposição do rei (divindade ou escolhido de Deus).

Na atualidade, não se difere muito dos povos antigos, mas hoje as religiões perderam a exclusividade (especialmente no ocidente) para diversas ideologias e modismo. O povo por se acomodar até para pensar se deixar ser conduzido (como ovelhinhas tolas e manipuláveis) segundo os interesses daquelas minorias que se enriquece a partir de uma maioria inflexiva, que os idolatram como os seus salvadores pessoais em seus momentos fútil e passageiros dos sonhos e ilusões que acarreta um pouco mais adiante frustrações e depressões em suas almas.


Paz e Bem!

sábado, 6 de outubro de 2012

Teologia Cristã


Teologia Cristã
Paulo da Costa


       A teologia cristã tem como sua referencia maior a pessoa de Jesus Cristo, que a partir dele, através de seus discursos e atitudes, veio nos revelar o reinado de Deus. Na história da salvação que teve sua plenitude em Jesus, foi traçado desde os primórdios da humanidade que caiu (Pecou), negando o reinado de Deus, mas Jesus por sua fidelidade ao Pai no anúncio de seu reinado fez manifestar novamente a graça de Deus sobre nós. Sua fidelidade trouxe como consequência a morte na cruz, que não o separou do amor de Deus, mas que o ressuscitou no terceiro dia.

     Jesus Cristo é o sujeito da teologia cristã, que na história da igreja passou por períodos que amadureceram e aprofundaram de forma sistemática essa teologia. Após ascensão de Jesus, os apóstolos foram anunciar o reinado de Deus dando continuidade à missão de seu mestre e senhor Jesus Cristo. Roma era o centro do mundo e seu império predominava em uma extensa dimensão territorial sendo inseridas diversas regiões, se tornando um grande Império Romano na quais muitas nações estavam sobre seu poder, mas foi lá apesar das perseguições, torturas e assassinatos que no século IV foi oficializado o cristianismo como religião oficial do Império.

    A teologia Cristã vivia o período da patrística, que não tinha grande preocupação sistemática, mas uma preocupação de organizar conjuntos de reflexão como homilias, catequese, cartas... Por caminhar em unidade com o Império Romano, sofreram grandes influencias helenística principalmente na fé através dos grandes filósofos gregos que se tornaram um dos pilares da Igreja Católica, que também nesse período se viu a necessidade de combater as heresias, surgindo dessa forma vários concílios moldando dessa forma uma fé em unidade, com a Igreja na tradição e na Sagrada escrituras.

     Na Idade Media com a queda do Império Romano ocidental através da invasão e domínio dos bárbaros que logo se converteram ao cristianismo, surge um novo período na Igreja que é a Escolástica que nos apresenta uma condensação do conjunto de reflexões sistemáticas da fé principalmente através das sumas teológica. Houve nesse período um grande avanço cultural e filosófico, com o surgimento das Universidades que enriqueceram em muito a teologia cristã, o aparecimento de novos métodos teológicos e tornando-a como ciência através de suas discussões dialéticas numa visão sistemática sempre caminhando junto à filosofia.

     Na contemporaneidade observa-se que a teologia cristã, principalmente a partir do vaticano II, que a Igreja busca se aproximar através de um dialogo fraternal, diante das diversidades, sendo também mais sensíveis e atuantes as problemáticas globais em suas diversas dimensões sociopolítica e cultural, discutindo possibilidades de caminhos para um mundo melhor, onde prevaleça a liberdade, justiça e igualdade. Tendo sempre como testemunha maior o próprio cristo que nos aponta o Reinado de Deus dinamizado e manifestado no amor ao próximo refletindo assim o próprio o amor a Deus. 

Paz e Bem!

sábado, 22 de setembro de 2012

Reflexão Casual...


“Quando o homem busca apenas seus caprichos, saciar apenas suas vontades efêmeras, ele não passa de um mero parasita que suga toda vitalidade do mundo... Natureza e sociedade ficam doentes, refletindo todo o desequilíbrio humano egoístico e mesquinho. É necessário transcender, buscar as coisas do alto (eterna) que no silêncio se revela no fundo do coração. Convidando a buscar a harmonia na sua totalidade cósmica com toda a criação (universo) e todas as criaturas, fitando e trilhando o caminho que nos leva ao sumo bem (Deus). Sendo portadores e arautos da paz na dinâmica da caridade, que só é vivido plenamente no amor incondicional que se manifesta somente no coração tolerante, justo e fraterno.”

Paulinopax

sábado, 8 de setembro de 2012

Vamos lá ...


Vamos lá


Vamos lá ó gente olé, lê, lê!      
Vamos lá ó gente olá, lá, lá!

Vamos Juntos, Vamos caminhar.
Sempre unidos na busca da paz
Nós e você, juntos ó irmão.
Sonho de todos e um só coração.

Vamos lá ó gente olé, lê, lê!      
Vamos lá ó gente olá, lá, lá!

Vamos juntos, vamos transformar.
Nosso mundo em algo melhor
Onde haja justiça e igualdade
Entre os povos todos, meu irmão.
Paulo da Costa

Vamos lá ó gente olé, lê, lê!      
Vamos lá ó gente olá, lá, lá!

Vamos juntos, vamos, ó irmão.
È Deus que nos convida a trabalhar
Combatendo a morte, vamos lá,
Nos unir e a vida anunciar.

Vamos lá ó gente olé, lê, lê!      
Vamos lá ó gente olá, lá, lá!

Vamos lá...

sábado, 25 de agosto de 2012

" Então vem caminhar com a gente irmão! "


Então vem caminhar!
Paulo da Costa

Então vem caminhar com a gente irmão!                                      
Em busca de um mundo de paz e justiça, de fé e união.

Esse povo é tão maltratado,
Estar entregue ao descaso.                                                                 
Abandonado pelos governantes,
Que muito falam e nada faz.                    Então vem!

Esse povo é tão enganado,
Com promessas falsas de esperança.                                                 
Frustrado, de volta a correntes,
No cotidiano amargo e sombrio.             Então vem!

Mas esse povo é lutador,
De esperança infinita                                                                          
Da dor faz surgir à alegria,
E da morte nascer uma nova vida.           Então vem!

E esse povo tem muita fé,
Joelhos no chão, olhos para o céu.                                                     
Apesar das grandes pelejas,
Pede a proteção e a benção do Pai.        Então vem!



sábado, 4 de agosto de 2012

" É hora de assumir, todos por uma justa causa! "


É HORA DE ASSUMIR

Paulo da Costa

Nem o medo me detém e nada tenho a temer,                
É hora de assumir, todos por uma justa causa.
                             

Pela força do evangelho, me levo a comprometer-me,
Em nome do amor, da justiça e fraternidade.
Lutar pela causa dos pobres, dos oprimidos injustiçados,
Anunciando a vida e combatendo o temor da morte.


Tudo isso é conseqüência da busca de um ideal,
Da luta pela defesa dos pobres em prol do evangelho.
A minha vida nada vale em vista da morte de tantos,
Vitimas assassinada, violentada e despejada.


Todos nós somos profetas. È Deus que nos convida a trabalhar,
Vamos juntos anunciar, promovendo a vida a todos.
Combatendo e denunciando, o pecado e a morte.
Através do Cristo Jesus, que é caminho, verdade e vida.


Pax





sábado, 21 de julho de 2012

"Eu vou cantar o amor , anunciar o meu senhor!"


Eu vou cantar o amor!


Paulo da Costa



Eu vou cantar o amor , anunciar o meu senhor!
Eu vou cantar o amor , anunciar o meu senhor!                                


Nesse mundo tão desigual, onde reina a injustiça.
A miséria e a morte se mostram tão normal,
E a vida se tornou banal, entre todos os mortais.
Eu vou cantar o amor, anuncia o meu senhor.


Eu vou cantar o amor, anunciar a vida entre todos.
Combatendo todo mal e superando os obstáculos.
Em nome do meu senhor, Jesus Cristo, “O Redentor”.
Eu vou cantar o amor, anunciar o meu senhor.


Se o Espírito nos capacita, sendo seu instrumento de paz.
Promovendo a vida e combatendo os sinais de morte.
Eleva o nome do senhor, sendo sal e luz para o mundo.
Vamos cantar o amor, anunciar nosso senhor.


Paz e Bem!

sábado, 7 de julho de 2012

“Todo reino dividido é um reino destruído”

Unidade em Cristo

Paulo da Costa 

Todo reino dividido é um reino destruído.
Buscai a unidade em cristo nosso senhor. (bis)

Cristo fala a todos nós, sua palavra tem poder.
Nos exorta com amor, para um fim pior não ter:
“Todo reino dividido é um reino destruído”
Vamos juntos então buscar a unidade em Cristo.

O motivo da divisão é a ausência do amor,
Se chamamos Deus de Pai. O próximo é meu irmão.
Não deixais que a diferença impeça o amor nascer,
Nessa grande comunhão, juntos a Cristo somos irmãos.

Quando Cristo subiu aos céus, Mandou o Santo Espírito.
Ele nos capacitou para diferentes serviços.
São diversos dons e carisma, mas o Espírito é o mesmo,
Onde Cristo é a cabeça, desse corpo que somos membros.

Pax...



sábado, 23 de junho de 2012

Sei que sou uma centelha do teu amor !

CENTELHA DIVINA

Paulo da Costa
No infinito do mistério divino
Sei que sou uma centelha do teu amor

Ò dor! Porque me atormenta?,
Me faz ver minhas limitações.
Que nada sou além de um homem,
Buscando sempre as superações!
Às vezes me sinto inabalável,
Insuperável, justo e verdadeiro.
Percebo que meus pés são de barro,
Que a queda há de acontecer!

No infinito do mistério divino
Sei que sou uma centelha do teu amor

Sou humano e tenho os meus defeitos,
Mas também tenho minhas qualidades.
Reconheço a tua infinita grandeza,
E junto a ti tudo posso!
Tu és o Alfa e Omega,
Vim de ti e pra ti, eu voltarei.
Buscarei seguir os teus passos,
Deixando cristo viver em mim!

No infinito do mistério divino
Sei que sou uma centelha do teu amor


PAX...


sábado, 9 de junho de 2012

"Está nos corações de todos nós"

CAMINHADA AO SOL

Paulo da Costa

 
Vamos juntos a caminhar
Sempre unido a transformar
Nosso mundo em algo melhor
Com os povos todos a cantar


Nosso mundo foi criado por Deus,

Deus Pai que amou todas as criaturas,

Sempre unido manteve sua presença,

Junto ao Homem que é sua semelhança.

Mas o Homem quis ser igual a Deus.

Do ato buscou a se esconder.

Deus de tudo sabia e compreendia,

E o amor, o homem não reconhecia.




O amor continua não sendo amado,

Pelo Homem o desprezo continua,

Deus de amor, o Filho nos mandou.

Para nos resgatar de toda a morte.

Cristo Subiu aos céus, mas permanece.

Entre nós está,e não o conhecemos,

Está nos corações de todos nós,

Quando o amor se faz manifestar.








sábado, 26 de maio de 2012

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna"


Santos e Eucaristia

Paulo da Costa

Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia. Pois a minha carne é verdadeiramente uma comida e o meu sangue, verdadeiramente uma bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.Assim como o Pai que me enviou vive, e eu vivo pelo Pai, assim também aquele que comer a minha carne viverá por mim.”(Jo 6, 54-57)

        A eucaristia é porta de entrada no mais profundo mistérios divino que mesmo estando vivo pode- se experimentar. É por intermédio da comunhão (Eucaristia) com Deus na trindade santa que podemos nos unir e nos tornarmos um com Deus em unidade plena. A santa eucaristia quando se recebe de corpo e alma numa verdadeira entrega, Deus se manifesta com todo seu poder e gloria onde os Céus se faz presente em nossa alma e em todo nosso ser, resplandecendo seu poder e infinito amor por cada um de Nós. Somente quem tem a intimidade com a eucaristia sabe como é profunda e constante a manifestação de Deus, que se revela e nos fortalece na caminhada para eternidade nos tornando portadores de sua presença através do testemunho sendo sal e luz para mundo, enfim novos Cristos.

        Se observarmos a vida dos santos de nossa Igreja Católica, perceberemos sua profunda intimidade com a eucaristia, pois eram pessoas de grande intimidade com o Amado que se manifestava pela Hóstia santa. Eram experiências profundas que levavam ao repouso em cristo ou a verdadeiros êxtases. Os santos sabia o valor da oração e das Sagradas Escrituras, mas sabia também que a Eucaristia era a forma mais direta e profunda de se encontrar com o Nosso senhor Jesus Cristo, um encontro onde Ele se revelava e se tornava um com os santos.Um grande testemunho disso, foi São Francisco de Assis, onde todos de Assis e cidades próximas já não sabia se era Cristo ou Francisco que estava ao seu redor, que através de seu testemunho manifestava profundo amor a Deus que presente estava na criação, nas criaturas e principalmente no próximo.
        Por isso se nos aprofundarmos na vida dos santos perceberemos que se tornaram modelos (referencia) daqueles que buscaram ter essa intimidade profunda com o Cristo eucarístico, eles por seus testemunhos se tornaram setas que apontam para Cristo, que se faz presente principalmente na santa Eucaristia, mas também nos alerta que eles assim como nós eram humanos e limitados com defeitos e qualidades que foram lapidados e moldados nas mãos de Nosso Senhor Cristo Jesus, que nos motiva por seus testemunhos de vida há nos tornamos também santos no mundo de hoje, santos de calça jeans que anunciam a boa nova com muita alegria e criatividade, com bastante fervor e seriedade com as coisas de Deus, buscando ter a intimidade com Cristo por intermédio da oração, das Sagradas Escrituras e principalmente com o Cristo Eucarístico que é a própria Hóstia Santa.


Paz e Bem!!!

sábado, 12 de maio de 2012

Unidade em Cristo

Quem não é contra nós, é a nosso favor

Paulo da Costa


“João disse a Jesus: Mestre, vimos alguém, que não nos segue, expulsar demônios em teu nome, e lho proibimos. Jesus, porém, disse-lhe: Não lho proibais, porque não há ninguém que faça um prodígio em meu nome e em seguida possa falar mal de mim. Pois quem não é contra nós, é a nosso favor.” (Mc 9, 38-40).

      
  Infelizmente dentro de nossa própria Igreja existem os preconceitos e falta de respeito com os outros movimentos, isso faz a nossa igreja ficar dividida, e reino dividido é reino destruído. Isso não é atitude de cristão, de leigo, religioso e muito menos de Sacerdote, que deve ter como modelo o “Bom Pastor”, o nosso Cristo Jesus que respeitou , acolheu e amou a todos principalmente os excluídos de sua época. Cristo sempre respeitou e caminhou com todos, nunca fez distinção de ninguém. Da mesma forma que acolhia uma pessoa já excluída pela sociedade (Pobres, coxos, leproso, prostitutas e etc.), Ele também acolhia com muito amor e carinhos os ricos e privilegiados da sociedade (Publicanos, saduceus, governantes e etc.), porque ele veio trazer a misericórdia, pois na verdade todos ainda vivam na dor e no sofrimento causado pela ignorância do pecado. Jesus é a luz que veio ao mundo trazer o amor e a sabedoria divina, pelo testemunho quem vem através da caridade ao próximo. Independente de sua situação de vida ele veio a todos, pois essa era a sua missão, salvar a humanidade.                                        .

        Devemos sempre ter o Cuidado! Para não nos tornarmos modelo de Fariseus hipócritas cheios de razão e de verdades de Deus, com autoridade de julgar no lugar dele e condenar como se fosse o Próprio Deus, fazendo diferenciação daqueles que não estão em comunhão com os pensamentos de movimentos específicos dais quais existem uma grande variedade dentro de nossa igreja católica como também de outras denominações cristãs ou não. Vendo os que pensam diferente como inimigo damos um enorme contra-testemunho de tudo aquilo que cristo e toda tradição cristã nos ensinou. Tanto pela sabedoria de Cristo e dos primeiros cristãos como também pelas nossas próprias falhas arbitrarias no processo histórico, Erramos principalmente nos excessos da enculturação dos povos, os obrigando a aceitar de forma violenta nosso credo, e muitos foram mortos e queimados injustamente em nome de Deus, Na qual cristo sempre proclamava que o nosso Deus é o Deus da vida e não o deus dos mortos.     

         Somos irmãos e buscamos a anunciar o reino de Deus aspirando sempre o amor, a justiça e a fraternidade que seja algo permanente por toda a eternidade ao lado do Nosso Senhor Jesus Cristo com todos seus anjos e santos. Que busquemos fazer nossa missão de Cristão, mas sempre respeitando o próximo que aspira e agi de forma diferente, vivendo seu próprio carisma e chamado, impulsionados sempre a promover a vida por intermédio de Deus independente em qual denominação estejam. Por isso  deixemos os outros também fazer o seu serviço ministerial, Deus não nos nomeou advogado dele aqui na terra, pois ele nem precisa disso.Orai e vigiar sempre para  não cairmos nas insensata atitude  de reprimir e condenar o próximo por anunciar a Deus apesar das diferenciação porque o Santo Espírito  vai a onde quer segundo a vontade de Deus. Tais atitudes são algo de pessoas preconceituosas, alienadas e fanáticas que se acha dona da Verdade, altamente fundamentalistas que esvazia toda sua vida de fé pela falta de caridade ao irmão. Que Busquemos a unidade e respeitar a todos como irmãos, não cabe a nós e a ninguém julgar, pois somente Deus tem essa autoridade.




Paz e Bem!

sábado, 28 de abril de 2012

Todos os povos da terra se reunirão diante Dele !

Senhor e Juiz da Vida

Paulo da costa


“Quando o Filho do Homem vier como Rei, com todos os anjos, ele se sentará no seu trono real. Todos os povos da terra se reunirão diante dele, e ele separará as pessoas umas das outras, assim como o pastor separa as ovelhas das cabras. Ele porá os bons à sua direita e os outros, à esquerda.” (Mt 25,31-33)

        Jesus declarava o que estava advir após sua ressurreição. Pois Cristo ressuscitando dos mortos, vence o príncipe desse mundo o senhor da morte, se tornando o Senhor da vida e Rei supremo de todo o universo na autoridade de julgar a todos vivos e mortos onde quer que estejam. Nos evangelhos relatam que Jesus passou três dias no túmulo, pois era o período necessário para ir em missão também na mansão dos mortos, sendo que, Cristo veio para todos, não somente para seus contemporâneos, mas pra todos os viventes de todas as épocas, desde Adão até os dias atuais e por todos os séculos e séculos. Observado detalhadamente suas colocações sobre o julgamento. Ele nos declara a missão e meta de todo os cristãos, daqueles que verdadeiramente abraçaram e compreenderam as mensagens de Nosso Senhor.

         Cristo quando ressuscitou dos mortos veio Como Rei de todo o universo, na sua autoridade devida, e coloca diante de todos nós como separador entres os bons e os maus, sua vida e testemunhos, anunciando a boa nova de seu Pai, nosso Deus criador que incessantemente buscou estar ligado a nós por intermédio da aliança que sempre foi rompida e que dessa vez se tornou única e se manterá por toda eternidade pelo sangue de seu amado filho. A boa nova anunciada (evangelho) será aquela que dividirá os benditos e malditos de Deus Pai, pois todos que buscam compreender e viver sinceramente a boa nova será luz para o mundo e sal para terra, tendo a total compreensão de seu objetivo no mundo que é anunciar o evangelho, principalmente de forma concreta. Porque o testemunho arrasta multidões sendo muitos corações tocados pela autoridade anunciada do evangelho, que tens na sua máxima, que é amar a Deus sobre todas as coisas e a seu próximo como a si mesmo, o seu filho Jesus que se manifestar em todos, principalmente nos pequeninos de Deus (Sofredores e Excluídos).

        Deus manifesta sua presença sempre onde o amor é vivenciado entre os irmãos que juntos vivem e superam as dificuldade na unidade com seu filho Jesus. Quer por meio da missão ou da oração, pois andam juntos e são inseparáveis. Onde há amor e a caridade, Deus ai está, pois se torna presente em cada irmão acolhido de suas dores e aflições, partilhando também das alegrias de estarem juntos louvando e servindo a Deus, já vivenciando aqui os céus. Mas aqueles que optaram simplesmente em darem prioridade ao seu próprio egoísmo, vivendo somente para alimentar seus caprichos, esquecendo dos seus irmãos que sofrem e que poderia muito bem ajudá-los, mas preferiu ignorá-los ou até mesmo abusá-los fazendo sofrer. Sofrerá aqui mesmo suas conseqüências, e nunca terá paz de espírito, pois Deus se tornar ausente, e onde Deus se ausenta já é um estado de dor e sofrimento, sendo o inferno vivenciado aqui mesmo na terra.

        Não é somente com palavras vazias que iremos aliviar as dores dos que sofrem, temos que arregaçar as mangas e ir à luta pela vida. Combatendo essa realidade de sociedade extremante materialista e individualista, que excluem constantemente aqueles que fogem dos padrões da ditadura da superficialidade que idolatra a aparência e o prazer como se fosse o tudo, mas que na realidade não passa de uma futilidade momentânea que apenas amarga os corações que buscam preencher-se (ego) através de seus caprichos. Temos que levar Deus a todos que estão na escuridão do seu egoísmo ou vitimadas das injustiças humanas, promovendo a vida e levando a esperança de momentos melhores e felizes.
Paz e bem!