sábado, 21 de abril de 2018

Resenha: Sexo, Desvio e Danação III

BRUXOS
Paulo da Costa Paiva



BRUXOS

            Na Idade média surgiu algo muito forte e atemorizante na imaginação da população, que foi usado como ferramenta pela própria Igreja para levar algumas pessoas que se opusessem as suas idéias à fogueira. Segundo o imaginário popular e a própria Igreja seria uma seita ou algo semelhante que era total oposição ao cristianismo, denominado de "bruxaria" que estava diretamente relacionado ao satã (mal) e sendo contraparte junto com seus demônios à Deus e seus anjos numa verdadeira guerra sobrenatural e invisível pelo menos na ideia do povo da época. Essa caça às bruxas se tornou uma arma ideológica fortíssima para levar muitos inocentes a fogueira e a todo tipo de torturas das mais bizarras que existiram para erradicar qualquer possibilidade do mal triunfar sobre bem aqui na terra, e como forma de encurralar qualquer pessoas ou grupos que pensassem de forma diferenciada da Igreja.

             Um exemplo de total histeria relacionado a dita bruxaria, seria na Europa Ocidental, pois era algo diferenciado porque era mais intenso e forte as ideias que tudo de alguma forma estava relacionado à alguma manifestação demoníaca ou melhor dizendo, ações de bruxaria dos servos do diabo (bruxos e bruxas). Segundo os estudiosos Kramer e Sprenger, a ideia de bruxaria estava fortemente relacionada aos impulsos sexuais como porta de entrada da manifestação maligna, pois advinha do desejos carnais que eram insaciáveis nas mulheres, se tornando um forte motivo de perseguições de mulheres que se tornaram muitas das vezes por pura ignorância sendo verdadeiros bode expiatória dessa verdadeira histeria que impregnou tanto na população como na Igreja.

            Baseado em registros antigos do século IV, que havia uma lenda (História Gotica de Jordanes) que falava do acasalamento entre demônios (masculinos) e bruxas criando uma nova raça chamada de hunos. Por ai se ver como o imaginário do povo era muito fértil levando a uma verdadeira histeria, vendo a situação a Igreja buscou intensamente absorver o paganismo negando qualquer ideia de poder por parte da magia pagã, tentando levar ao descrédito e ao esquecimento. Entre suas iniciativa foi assumindo seus dias sagrados e suas divindades e seus templos numa realidade cristianizada com oficialização de dias santos no calendário cristão, como também a trocas das divindades por santos católicos e construções de Igrejas sobre as ruínas dos templos pagãos. Apesar de todos os esforços por parte da Igreja o paganismo insistia em permanecer desafiando a absorção cristã, principalmente no que era relacionado ao culto da fertilidade. No final da Idade medieval a bruxaria que estava relacionada diretamente ao satanismo seria o perfeito bode expiatório, sendo que a utilizando como meio (justificativa) para aplicada á qualquer pessoa que discordasse dos dogmas da Igreja oprimindo e impondo suas ideias de forma inquestionável por muitos séculos sendo considerada inimiga da Igreja, uma verdadeira imagem compósita do mal.

Continua...

Paz e Bem!!

a

Nenhum comentário:

Postar um comentário