sábado, 29 de junho de 2013

Cegos guiando cegos!

Cristão, Ser ou não Ser?
- 2ª Parte -
Paulo da Costa

"Nem todo aquele que me diz: `Senhor, Senhor', entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus." ( Mt 7, 21)

Infelizmente hoje muitos cristãos, busca adequar à fé segundo a sua vontade e não a vontade de Deus, cairmos na cilada do comodismo e da conivência. È mais fácil ser cristão só louvando e rezando em língua, indo semanalmente a missa e a comunidade, chorando nas orações em comunidade ou diante do Santíssimo Sacramento, sempre repousando no Espírito, mas na outra semana continua a mesma coisa. Não podemos viver só na gloria de Deus sem levar em conta que muitos de nosso irmãos ainda sofrem, não basta rezar por eles devemos ter atitude concreta. Não vamos entra no reino sem antes levarmos a nossa cruz, Cristo próprio nos fala: “Carrega a sua cruz e segue-me” (Mt 16, 24). Irmãos, percebemos que as comunidades e grupos de orações estão lotados de Cristãos muito inflamados (ou empolgados) na fé, mas as pastorais principalmente as sociais estão na penúria, ninguém quer se comprometer com Cristo no momento difíceis no resgate do irmão que é o próprio Jesus, como ele fala no evangelho de Mateus: “Em verdade vos digo que, sempre que o fizestes a um destes meus irmãos, mesmo dos mais pequeninos, a mim o fizestes.” (Mt 25, 40). Muitos cristãos estão perdendo o foco principal, Cristo que se faz presente no próximo, que cada vez mais fica mais distante e indiferente.

Assim como direcionou os apóstolos em anunciar a boa nova, Cristo nos convida a se comprometer mais com a Igreja, através das pastorais que cada vez mais estão sendo esquecidas e abandonadas, é nas pastorais que colocamos em pratica tudo o que experimentamos com o ressuscitado. A caridade sem a fé é morta como fala são Tiago em suas cartas, por isso é tão importante uma profunda reflexão sobre a nossa caminhada de cristão, pois por auto afirmar ser de Cristo (Deus) para um farisaísmo é um salto. Devemos ter muito cuidados com as nossas atitudes não se assemelhar-se as de alguns fariseus que Jesus tanto criticava. Cheios de orgulho por conhecer a Deus por seus Escritos Sagrado (Torah), se achava no direito de excluir, julgar e condenar o próximo, condicionando Deus segundo suas conivências, sendo imparciais e tendenciosos nas interpretações para seus benefícios. Queriam sempre se promover com pieguices rezando nas praças em altos discursos. Não se diferem muitos de alguns irmãos que em vez de agir com misericórdia com próximo, muita das vezes julga, age com indiferença ou até ignora mesmo no caminho de ir ou vim da missa, onde o Cristo que recebeu na comunhão é o mesmo que estar na calçada pedindo às vezes que rezem por ele.

Claro que não podemos dar solução ou resolver todas as mazelas da humanidade, Mas devemos ser cooperadores de um mundo melhor, onde o amor, a justiça e fraternidade sejam prioridade e matas de todos para uma nova sociedade que haja mais tolerância e caridade, derrubando só muros do preconceitos e abrindo portas de diálogos amistosos e paz... Cristo nos pede para agirmos com misericórdia, Um simples olhar de carinho, com o irmão que sofre e se simbolizar com a dor do irmão. Ser cooperador do reino de Deus é se comprometer com o próximo que ainda não ter uma verdadeira experiência com Cristo Jesus, sermos evangelizadores na praxidade, no serviço para com irmão que sofre, busquemos se engajar nas pastorais e principalmente nas sociais, não sejamos hipócritas e nem puritanos, como os fariseus do qual Jesus os tanto exortou e denunciou por suas maldades e prepotências. Não sejamos sepulcros caiados bonitos (Aparência) por fora e podres por dentro (Egoístas), não vivam só de festas (Shows-Louvores) onde se adoras Deus simplesmente com os lábios, mas com o coração distante de Deus, pois quem realmente tem uma experiência profunda com Cristo jamais se esquecer do irmão que sofre, jamais ignoras os pequeninos de Deus. Observais que o Senhor deixa claro: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” (Mt 7, 21), fiquemos de alerta para não sermos surpreendido, pois Cristo foi claro o bastante e o pior cego que existe, é aquele que não quer ver.


Paz e Bem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário