sábado, 28 de fevereiro de 2015

Pentateuco - 2ª Parte

A Formação do Pentateuco - 2ª Parte
Paulo da Costa


           Sobre sua delimitação ouve certa polêmica sobre a ruptura ou não com os livros de Josué, Juizes, Samuel e Reis; Pois houve quem defendesse que a historiografia original compreendia não somente os cincos livros, mas seis (Hexateuco), sete (Heptateuco), oito (Octateuco,) ou até nove livros (Eneateuco). O livro de Josué aparentemente dar continuidade ao livro de Deuteronômio até a entrada na terra prometida desta forma não teríamos um Pentateuco e sim um Hexateuco onde muito críticos apoiam esse ponto de vista (Bonfrère, Spinoza, Benzinguer, G. Von Rad etc.). Estudiosos como Zenger defendem a tese que em vez de cinco livros seria nove (Eneateuco: Gn- 2Rs), pois visto que nestes livros se desenvolve uma história que vai das Origens do mundo até a destruição do Templo de Jerusalém e consequentemente com o exílio da Babilônia. Outros estudiosos acreditam no oposto que em vez de acréscimo deveria haver a ruptura com outro livro do próprio Pentateuco, que seria o livro do Deuteronômio que seria considerado como o prefácio de uma grande obra histórica (Obra deuteronomista), que se estenderia de Moisés até o exílio na Babilônia.

            A tradição judaica levou naturalmente a designação do Pentateuco á Moisés  o autor dos cincos primeiros livros da toráh, contudo muitas contradições podem ser claramente observadas nos textos que revelam que são proveniente de fontes diversas. O que despertaram a desconfiança dos estudiosos foram algo que vai muito além do anacronismo identificado nos textos, pois as diversidade literária encontrada no Pentateuco, levaram muitos exegetas a levantar a questão das fontes. Algo se mostrou gritante e muito rotineiro nos escritos do Pentateuco que foram que alguns momentos Deus eram chamado de "YHWH" como também de  "Eloim" , dois nome diferente ao mesmo Deus, levaram H.B. Witter (1711) a sugerir duas fontes distinta, esse tese foi plenamente explorado poe Astruc e por Eichhorn poe volta de 1760, propondo que se deveria distinguir em dois documento na qual onde se emprega YHWH como documento Javista e onde se emprega Eloim a documentos  Eloísta.

            Para tentar responder as diversas questões que surgem do texto do Pentateuco, e explicar  a presença de fragmentações literárias surgiram três hipóteses : A teoria documentária afirmava haver duas, três e até mais trama narrativas contínuas redigidas em época diferentes  sendo justaposta uma as outras por sucessores redatores. A teoria dos fragmentos asseverava que originalmente existia diversos e indeterminados textos isolados e sem continuidade narrativa, que foram recolhidos ulteriormente por um ou vários redatores-compiladores. Já a teoria dos complementos admite aparentemente a existência de uma unica narrativa contínua (Eloista), que ao longo dos séculos teria recebido inúmeros acréscimos e complementos, até a sua conclusão como escritos sagrados do Pentateuco.

Continua...


Pax!

Nenhum comentário:

Postar um comentário