sábado, 14 de março de 2015

Pentateuco - Final

A Formação do Pentateuco - Final
Paulo da Costa


         Julio Welhausen (1844 - 1918) reelaborando antiga hipótese documentaria desenvolveu uma nova sistematização onde o Pentateuco é concebido como uma obra redacional cuja a formação concorrem os seguintes extratos literários: O Javista(J) - textos composto do período monárquico(950 a.C.): Compreende a história dos Patriarcas, a vida de Moisés e a peregrinação do povo de deus. Usa desde o inicio das narrativas o nome de Javé, com o qual Deus se revelou a Moisés; O Eloista(E) - textos posteriores ao ano(750 a.C): Nesse documento, que começa com a história de Abraão, Deus aparece frequentemente a falar em sonhos e a manifestar diretamente seus desígnios aos homens.Usa predominantemente o nome Eloim, ficando Javé reservado a secções posteriores a Êxodo 3 (revelação do nome Javé no Sinai). ; O deuteronomista(D) - textos dos anos (600 a.C.): se deveria a um grupo de sacerdotes de Jerusalém, que desejavam fazer do templo de Jerusalém o santuário Único, nacional; em consequência, terão redigido esse código como se fosse escrito por Moisés, e em 622 o terão apresentado ao público qual obra recém-descoberta no templo após um período de esquecimento.; O Sacerdotal (P) - escritos do exílio Babilônico, aproximadamente (500 a.C.): seria a compilação de algumas séries de narrativas e leis, de caráter ritual. A compilação  feito por etapas no fim do exílio (séc. VI a. C.) ou pouco depois (séc. V), sob a influência do profeta Ezequiel e da sue escola de sacerdotes. Foi promulgada por Esdras em meados do séc. V aproximadamente. Julio Welhausen Compreendeu que o sistema das fontes se coadunava harmonicamente com uma nova perspectiva da história de Israel e com o desenvolvimento da religião judaica. O que mais lhe interessava era a evolução histórica das instituição cultuais como se refletia nas diversas fontes. Certamente, tal intento não pode ser realizado em todos os detalhes de um texto, pois os livros bíblicos não são simples coletâneas de fontes literária,mas foram formada na corrente viva da Sagrada Tradição.

            Erich Zenger (1939 - 2010) Trabalha na hipótese que os fragmentos (ciclos narrativos) tem suas origem entre o século VII e o final do século VI, com duas ou três fontes de amplitudes diferentes (Hipótese das fontes), que acredita que foram escritas progressivamente e combinada num segundo momento(Hipótese dos complementos) e que  pelo ano de 400 a.C., o Pentateuco fosse definido como grandeza autônoma na sua extensão. Segundo Zenger  o Pentateuco teria surgido de três fontes: Escrito não sacerdotal (J) - Denominada obra histórica de Jerusalém no contexto da queda da Samaria (722\721 a.C)), da libertação de Jerusalém pela Assíria no ano 701 e da vassalagem do reino do sul em relação a grande potência da época (Assíria) com a presença atuante dos profetas Amós, Oseias e Isaías. Existiam ciclos narrativos sobre os primórdios de Israel que foram compilados formando uma obra histórico-teológica. No Exílio esta obra foi ampliada e acrescida do antigo código da aliança, tendo como resultado a “obra historiográfica exílica”. Escrito Sacerdotal (P) - No exílio da Babilônia (520 a.C ) surge o chamado escrito básico sacerdotal, por conter uma linguagem e teologia sacerdotal, inspirada na teologia do profeta Ezequiel , Jeremias e no Deutero-Isaías. Ao retornar a pátria foi enriquecida com materiais do culto, e lei e santidade. e concluindo os Escrito Deuteronômico (D) -  Tem na sua fase mais antiga, uma coletânea  de leis sem nexo narrativo, é denominado deuteronômio de Ezequias por ter surgido na época de seu reinado. Inspirado no livro da Aliança, sendo muito favorável aos Levíticos, foi ampliado no reinado de Josias havendo acréscimos no período exílico.

Com o decorrer do tempo buscaram selar um compromisso entre a teologia Deuteronomista e a teologia sacerdotal, que eram concorrente entre si, como também  a pacificação entre grupos diferentes, graça aos esforços de Neemias (450 a.C) com a criação da província Jehud, tornando a obra exílica e a obra sacerdotal, na grande obra da história do povo judeu. Os textos misto (Deuteronomista-sacerdotal)podem  ser explicado através dessa redação onde também introduzida novos acentos teológicos. Os livros de Gn-Dt foram separados da grande obra de história(Gn 1 - 2Rs 25), como uma obra independente, que Esdra proclamou solenemente como Torah do Judaísmo. A divisão dos cinco quinto do Pentateuco originou-se nesta redação e a introdução final (Dt 34, 10-12). A separação do livro do Gênesis-Deuteronômio fez surgir o bloco denominado Profetas Anteriores (Js-2Rs).

   Pax!

sábado, 7 de março de 2015

Reflexão Casual XXX


“Não lamente dolorosamente o seu passado, não seja tão carrasco consigo mesmo. Se hoje tens consciência e maturidade diante de tudo que já passou isso só foi possível pelos vacilos vividos e superados... Não veja seu presente como o fim, mas como um novo recomeçar real e concreto que se inicia ao despertar para eternidade. Quem não é capaz de ousar (despertar o senso crítico) por medo de errar e de sofrer ainda não viveu verdadeiramente, está vegetando no mundo das fábulas e sepultado nos seus caprichos mais insanos.”

Paulinopax