sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

A Promessa do Pai

A Promessa do Pai
Paulo da Costa


         Jesus ao ressuscitar no terceiro dia, e ao se revelar na sua glória, ainda permaneceu com seus discípulos durantes dias, instruindo-os sobre coisas referentes ao reino de Deus. Também ordena para não se afastarem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai ( At1, 5.8).Cristo comunica o Espírito aos Apóstolos: “Eu irei, mas mandarei a vós o Consolador, o Espírito da verdade que vos ensinará toda a verdade” (Jo 16,13).

         Jesus Durante sua missão, se utilizou de muitos modos, de simbolismo para nos anunciar o Espírito Santo, e de forma muito especial, a simbolizar com água. Porque é princípio de vida. Assim como sem água não há vida na Terra, sem o Espírito Santo não vida nova. Por esse motivo, o envio do Espírito Santo, fez com que Jesus Cristo fosse glorificado. È o apogeu de sua obra salvífica. A promessa do Pai, tratava-se do Compromisso de Deus com os homens, através de Jesus. Que se inicia no Antigo Testamento através de Abraão, onde inaugura a economia da salvação, no fim da qual o próprio Filho assumira “a imagem”, e a restaurará na “Semelhança” com o pai, restituindo-lhe a gloria, no Espírito “ que dar a vida”. Jesus tinha vindo trazer a vida nova. O coração do homem só pode ser mudado por Deus, que cura e liberta. Por isso é necessário, a renovação interior do homem pelo Espírito de Deus que o transforma.

         O Espírito Santo é um Dom, um presente, que exige resposta de quem recebe. E a resposta implica uma transformação radical da vida. O Espírito vem e transforma o coração do homem. Assim, aquele que age animado pelo Espírito Santo, o faz em virtude da própria exigência do amor que habita nele. A ação do Espírito Santo no homem, modifica de forma gradativa, seus desejos, critérios, e valores. Transcendendo a inspirar as coisas do alto. Transformado pelo Espírito, deseja, quer e faz a obra do Espírito, tornando-se uma nova criatura (Gl 6, 15). Cristo ressuscitado e exaltado á direita do Pai, derrama, no dia de Pentecoste, o seu Espírito Santo sobre os apóstolos e depois sobre todos os que foram chamados, fazendo-os á imagem e semelhança do próprio Cristo. Portanto sua ação é absolutamente necessária, pois, a Missão de Cristo passa a ser a missão de todos os cristãos, por intermédio do Espírito Santo. Cristo nos ordena: “Como Pai me enviou, também Eu vos envio” (Jo 20, 21). E assim seja feito a vossa vontade.

Paz e Bem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário